Documentação para aplicar no Express Entry


Se você já tomou a decisão de emigrar e optou pelo Canadá, o próximo passo é criar o perfil no Express Entry System.

Na minha opinião um dos melhores programas de imigração é o do Canadá, pois é um país que precisa de pessoas e vem há muitos anos investindo e atualizando seu programa. O Express Entry é um programa novo, lançado em Janeiro de 2015 e veio como uma melhoria do sistema anterior. Os chamados são periódicos e dados consistentes são disponibilizados online, o que torna possível entender o sistema e avaliar se temos ou não condições reais de receber um convite para imigrar.

O vídeo abaixo é mais uma das divulgações do CIC exaltando as qualidades do país e convidando trabalhadores qualificados a aplicar no Express Entry.

Verifique a sua elegibilidade para algum dos programas de imigração do Canadá

Confirmando a elegibilidade: Você deve verificar se pode ser considerado elegível através do ferramenta on-line, Come to Canada (Venha para o Canadá). Ela analisa se você satisfaz os critérios para entrar no “pool” do Express Entry. É um teste simulado online, no qual o sistema fará perguntas e no final informará se você tem ou não chances de ser aceito no banco de candidatos. Será necessário ter em mãos os resultados do teste de idioma (IELTS), seu tipo e nível de “skills” baseado no NOC, a Classificação Nacional Ocupacional ou “National Occupational Classification”, e o seu reconhecimento de diploma. Quando você chegar ao fim, a ferramenta te mostrará o resultado e irá gerar um código de referência, que será exibido na tela. Esta referência será utilizada mais tarde, quando você for criar o seu perfil do ExpressEntry no MyCIC.

Os interessados que ainda não fizeram o teste de proficiência e a equivalência do diploma podem acessar a ferramenta e fazer simulações e testes com dados supostos ou fictícios, porém no momento da criação do perfil é fundamental ter estes dados, pois o sistema solicita os códigos de referência emitidos. Todo o perfil deve ser verdadeiro pois se eles acreditarem que o candidato forneceu informações falsas ou deixou de fora detalhes importantes, eles irão recusar o pedido. Além disso, o candidato pode ser considerado inadmissível e pode ser barrado de entrar no Canadá, por qualquer razão, por cinco anos a partir da aplicação.

Agora vamos dar os detalhes de como obter estes documentos necessários para a criação do perfil.

Antes de tudo, prepare a sua documentação

As traduções juramentadas de certidão de nascimento e casamento, por exemplo, podem ser deixadas para um segundo momento pois não são solicitadas pelo sistema no momento da criação do perfil. Mas tenha em mente que após o convite para aplicar para residência permanente o candidato terá o prazo máximo de 60 dias para submeter todos os documentos de apoio que provem que as informações fornecidas são verdadeiras, incluindo as certidões, extratos bancários, atestado bons antecedentes e cartas de referência. Por isso, caso a pontuação atingida esteja próxima do necessário, é bom ir adiantando os documentos e traduções necessárias.

No momento da criação do perfil no Express Entry, já deve-se ter boa parte da documentação em mãos:

  • Passaporte válido
  • Teste de Proficiência ou “language test”: No momento da aplicação o sistema irá solicitar o nome e o número do registro do teste de proficiência em inglês e/ou francês efetuado. Dependendo do resultado obtido é possível ganhar até 160 pontos no programa. Sem esta informação em mãos não é possível seguir com a aplicação. Nós fizemos o IELTS, todos os detalhes podem ser encontrados aqui. As opções de testes aceitos pelo governo do Canadá são:

Informações oficiais atualizadas sobre os requerimentos do teste de proficiência podem sem encontradas aqui.

Informações oficiais atualizadas sobre como obter o reconhecimento do diploma podem sem encontradas aqui.

  • Experiência profissional e o código “National Occupational Classification – NOC”. Provar experiência de trabalho no Canadá pode dar até 80 pontos e a experiência de trabalho no estrangeiro soma até 50 pontos.

    • Para conseguir somar os pontos necessários, além de ser formado em alguma das áreas listadas como qualificadas e ter um bom nível em pelo menos uma das línguas oficiais do Canadá, deve-se ter experiência em algumas áreas e profissões específicas.
    • Pra isso, você precisa saber o tipo de habilidades que a sua experiência de trabalho te dá (bem como o trabalho que você pretende ter no Canadá, se forem diferentes). Você vai usar o sistema do Canadá de classificação profissional, NOC, para descobrir se a sua experiência de trabalho é válida sob um dos três programas federais citados aqui. Encontre o seu cargo, código e nível de habilidade ou tipo.
    • Os programas de imigração qualificada do Canadá utilizam o código NOC para decidir se um trabalho, ou o tipo de experiência de trabalho, é válida para os critérios desses programas. Por exemplo, se uma pessoa quer aplicar como um trabalhador, deve verificar o NOC para ver quais os trabalhos são considerados “qualificados”. São considerados qualificados os cargos listados nas linhas 0, A e B da NOC matrix. disponível para consulta.
    • Para fins de imigração, os principais grupos são:
      1. Skill Type 0 (zero) — gerentes.
        • exemplos: cargos de gerente
      2. Skill Level A — trabalhos profissionais. As pessoas geralmente precisam de um diploma de uma universidade para estes trabalhos.
        • exemplos: médicos, dentistas, arquitetos
      3. Skill Level B — trabalhos técnicos e especializados. As pessoas geralmente precisam de um diploma universitário, tecnólogo ou treinamento formal como um aprendiz para fazer esses trabalhos.
        • exemplos: cozinheiros, eletricistas, encanadores
      4. Skill Level C — empregos intermédios. Esses trabalhos geralmente precisam de ensino médio e/ou formação profissional específica.
        • exemplos: motoristas de caminhão de longa distância, açougueiros, garçom.
      5. Skill Level D — trabalhos por tarefa. Treinamento prático é geralmente dado.
        • exemplos: pessoal de limpeza, trabalhadores de campo de petróleo, catadores de frutas.

A aplicação só se completa com a inclusão do código de referência pessoal a partir da ferramenta “Come to Canada”, que foi citado no início desse post (Caso não tenha feito o teste de elegibilidade, o sistema irá te direcionar para criação on-line de um. É um processo rápido que toma apenas uns 15min).

Com o cadastro de tudo o que foi descrito acima, os sistema atribui um máximo de até 600 pontos ao candidato. Atualmente a pontuação mínima necessária para um convite gira em torno de 450 pontos. Quem ainda não atingiu essa marca tem algumas opções como se qualificar ou adquirir maior experiência no Canadá.

Oferta de emprego qualificado e Nomeação provincial

Essas são as duas situações em que podem-se conseguir 600 pontos adicionais e praticamente garantir um convite para aplicação. São dois casos possíveis, mas que raramente acontecem para quem não está no Canadá ou pelo menos já teve uma grande experiência no país, como uma formação acadêmica por exemplo.

  • Oferta de emprego: Requer que a empresa solicite e pague um “LMIA – Labour Market Impact assessment”. É um estudo para avaliar a situação do mercado de trabalho e se realmente existe a necessidade de trazer um trabalhador estrangeiro, sem prejudicar a população local. É um processo custoso e demorado demais para arriscar trazendo alguém de fora, sem referências locais e sem saber como será a adaptação da pessoa.
  • Nomeação provincial: A maioria das províncias do Canadá conta com seus programas de imigração próprios. Eles são um pouco mais restritos do que o programa federal porque existe a necessidade de que o candidato prove algum tipo de vínculo com a província e sua real intenção de se estabelecer permanentemente na região. A aplicação nesses programas é feita nos sistemas das províncias, mas todos estão conectados ao programa federal. Havendo interesse da província, eles automaticamente inserem 600 pontos adicionais no perfil do candidato, garantindo um convite pelo Express Entry, só que nesse caso com a restrição de que deve-se viver na província que concedeu os pontos.

No caso da oferta de emprego é o candidato que deve inserir a informação e anexar a carta da empresa ao seu perfil. Já no caso da nomeação de província os pontos são adicionados automaticamente.

Experiência no Canadá é a chave para quem espera conseguir esses 600 pontos adicionais. Nos primeiros chamados do programa a pontuação mínima chegou a ser de 735 pontos. Como só é possível obter mais de 600 pontos com oferta de emprego ou nomeação de província, fica claro que houve candidatos com apenas 135 pontos referentes à qualificação que foram convidados a aplicar. Essas pessoas com certeza já estavam vivendo no país e tiraram proveito do fator experiência local e adaptabilidade para conseguir o seu convite.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

Notificar
avatar
wpDiscuz